quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Tradução - An introduction track by track

Toriphiles!
Um texto em que Tori descreve a história do Night of Hunters, introduzindo as canções e personagens da pequena trama, foi publicado no Amazon recentemente! Aqui, segue a versão traduzida, e caso queira ver na língua original, é só clicar no link da fonte.

Uma introdução, faixa a faixa

"Night of Hunters" é um ciclo de canções que começa com o despedaçar de um relacionamento, à medida que, lentamente, o sol desaparece e o crepúsculo se assenta. Sozinha numa casa em estilo Georgiano, ao lado do Rio Bandon, nas redondezas de Kinsale Co Cork, Irlanda, tori começa a reajustar os pedaços do que restou em Shattering Sea. O "Ele" na história que nos é contada carrega a força da maré e da onda, enquanto ela traz a força do fogo.
Ela logo encontra uma criatura metamórfica chamada Anabelle, que surge inicialmente como uma raposa, e explica a tori que só com a noite e a escuridão somos capazes de começar a ver com nossos olhos mais íntimos. Anabelle então sugere que um fragmento da história do casal, agora perdido, remeteria à Irlanda Ancestral. Ela encoraja tori a se permitir uma travessia pelo tempo-espaço e voltar mentalmente nos anos, para quando este casal caminhava por aqueles mesmos montes, só que num passado mítico irlandês.
Com a habilidade de Anabelle de ver o passado, tori sai em busca de um fragmento-chave perdido, em Battle of Trees. Esta batalha épica teve lugar possivelmente há 3000 anos atrás, e não se deu apenas com armas físicas, já que incluía poetas de ambos os lados. Eles usavam o antigo alfabeto da árvore, O Beth-Luis-Nion (Birch-Rowan-Ash) para lutarem um contra o outro. Não obstante, a ira de um poeta, se fosse voltada habilidosamente contra o comandante de uma tropa inimiga, podia danificá-los de modo a criar uma vantagem psicológica para o exército daquele poeta.
Na Irlanda Antiga, enquanto as invasões tornavam-se mais e mais constantes, o respeito pela Deusa Branca era suplantado por aqueles que veneravam o Deus Trovão em todas as suas formas. Nosso casal lutou do mesmo lado, como poetas, contra os invasores. Nós todos sabemos que a tradição de culto à Deusa foi diminuída pelo Deus Trovão, e então o Cristianismo suprimiu qualquer marca dessa tradição ainda mais.
Em Fearlessness, tori recobra outra memória de seu passado recente com "ele". A Dúvida e a Culpa parecem ter se estabelecido entre os dois; neste ponto, a vida deles no mar vem à tona. Na travessia do Atlântico empreendido no bote dele, do Novo Mundo ao Velho Mundo, forças externas começaram a separá-los, de modo a no fim da canção ouvirmos: "Então foi aí que a culpa surgiu, naquilo que antes eram duas forças unidas em Destemor".
Anabelle então compartilha sua visão do casal, fazendo tori ciente de que "cada casal tem uma versão daquilo que eles chamam de verdade". A metamorfa diz a tori para recuperar tudo o que jaze logo abaixo da história dos dois, trazendo essas coisas para perto de seu próprio fogo e, depois, abraçando a verdade que seria descoberta. Anabelle assume então sua forma de ganso, e oferece a tori um elixir de cacto para abrir sua visão e seu coração, a fim de entender o papel dela nesse afastamento "dele", tão despedaçante. Como se dá com qualquer elixir, sua função é levar quem o toma a um nível de intuição e compreensão os quais não seriam alcançáveis na luz fria do dia.
Star Whisperer é o ponto onde tori começa a cantar diretamente à alma "dele". Ela se refere a "ele" como "você" pela primeira vez durante o ciclo de canções. "Ele" começa a ter voz e perspectiva, à medida que fala para ela através de diferentes instrumentos. O elixir que Anabelle deu a tori levou-a numa dimensão na qual está o Star Whisperer ('domador' de estrelas), o qual dura mais de 9 minutos e se torna uma descoberta emocional, por tori entender que "você viu um Eu que eu não queria ver", assim como "eu vi um Você que eu não queria ver".
Posteriormente, Anabelle, na forma de raposa, pergunta a tori sobre o dia em que ela abandonou sua força do fogo. Ela também nos alerta que "existe uma rede de desempoderamento", e que por ela "todas as forças estão sendo invocadas justo para desmantelá-la." Enquanto a constelação de Job's Coffin observa de cima a Terra, aprendemos que Anabelle está aqui para convocar todas as forças, afim de deixá-las "de volta aos trilhos". Ela explica essa distorção em nossa realidade presente, "por lá existir um poder antigo que queria ver a Terra controlada".
Em Nautical Twilight, tori revela que ela voltou suas costas para sua própria força do fogo. "Eu a abandonei, rompendo um delicado equilíbrio, quando deixei meu mundo pelo dele". Ela agora percebe o efeito deste desequilíbrio sobre o relacionamento, e expande sua percepção sobre a ideia de uma força antiga querendo controlar a Terra, plantada em Job's Coffin por Anabelle. A consequência de qualquer força que vire suas costas para sua própria energia vital não difere de quando tal energia é voltada para fins destrutivos; tori entende que deve escolher pela reativação de sua força da vida mais íntima.
Your Ghost é tori cantando a "ele" depois de encontrar seu fantasma. "Seu fantasma me mostrou que nossas prímulas podiam sobreviver à geada se um gentil regato de chamas fosse sustentado, com ternura". Ela reconhece ter criado um bosque de vidro, e agora compreende que ele também saiu ferido no momento em que seu relacionamento estilhaçou. tori ainda diz que a força dos dois tem o poder de "curar aquilo que foi extirpado e magoado".
Edge of The Moon revela então uma promessa que "ele" fez a tori. Ela começa a lembrar de como era o relacionamento deles antes dos dois permitirem que forças externas os separassem. Tanto em Your Ghost como em Edge of The Moon percebemos a profundidade do sentimento que ainda existe entre o casal. A culpa e a ira que um sentia pelo outro está se transmutando num espaço onde a extensão do amor sentido por ambos é maior que o dano sofrido pelo relacionamento.
Com esse entendimento de como ela realmente se sente, durante The Chase, Anabelle anuncia que precisa ir embora e deixa tori com a Muse of Fire. Esta se mostra como uma verdadeira chama, capaz de flamejar por toda uma vida, e em torno dela Anabelle dança e faz tori mostrar à Musa o enigma sobre o qual ela foi ensinada. Anabelle explica que ela, em sua forma de raposa / ganso, é o caçador e a caça, dotada da força da dualidade e neutralidade. Mesmo que um tipo diferente de caçador / predador pareça estar se aproximando delas, Anabelle deve insistir em sua missão de invocar todas as forças a serem despertadas, para que consigam criar em cima de forças voltadas para fins destrutivos. O enigma ensinado por Anabelle a tori é uma magia antiga, e a está fazendo ganhar a habilidade de se metamorfosear de caça em caçador, o poder de Anabelle. Ela alerta tori de que "lá fora", com o intuito de sobreviver aos predadores, é preciso que ela preveja a forma como eles pensam para se antecipar, aplicando tudo o que a metamorfa a ensinou. De outra maneira, ela poderia literalmente perder sua cabeça.
A Muse of Fire inicia sua mensagem a tori com "surgiu tão rubra esta noite de caçadores, encontre amor invés do sangue deles em seu espinho". A Musa reconhece que algumas das forças negras caçam por poder; outras, porém, querem invadir os sonhos de crianças. O primeiro instinto de tori é de se vingar dessas forças, e a Muse of Fire concerne que os sonhos das crianças sejam resgatados. Com o apoio das Sete Irmãs, uma frequência é posta em posição de guarda para proteger tais sonhos das forças que queriam violá-las.
As sete irmãs trazem tori à força chamada Amor, e pela primeira vez, ela se sente grata pelas pessoas que entraram em sua vida. Ainda que elas fossem embora, por razão qualquer, elas não teriam ido, de verdade.
Com o amanhecer, surge Carry e o sentimento de que "você nunca será esquecido por mim, na precessão das estrelas desejadas… Seu nome é cantado e agora está tatuado em meu coração! Aqui eu o carregarei, carregarei, carregarei para sempre".

Tori Amos, Julho 2011

Fonte: Night of Hunters (Amazon.com)

2 comentários:

Rodrigo Oliveira disse...

Definitivamente, uma artista única

Hernando Neto disse...

Mas se empolgasse mesmo com isso, né @_@?