sexta-feira, 28 de maio de 2010

Tradução: Scarlet's Walk [PARTE 4]

Scarlet's Walk (O caminho de Scarlet)

Deixando a Terra
Deixando a Terra

Se você fosse um pensamento,
Você iria querer que eu lhe pensasse?
E eu fiz isso
Você era uma visita bem-vinda,
Até ter anunciado que aqui seria sua nova casa

“O que você planeja fazer com toda sua liberdade?”
Disse o novo xerife,
Orgulhoso por sua insígnia
“Você deve admitir que a terra está agora em boas mãos”
Sim, o tempo dirá que
Você levantou apenas sua lâmpada

Eu a seguirei,
Ela em sua trilha
O caminho de Scarlet, através das violetas
Só diga a seus Deuses por mim
Todas as dívidas já estão pagas, este ano
Eles estão livres para partir
Sim, estão livres para partir

Deixando a Terra
Deixando a Terra

Houve um tempo em que pensava que o destino dela
Deveria ter sido o meu
A Grande e Brava Nação
Porém, invés disso,
Sua Medicina*,
Hoje, esquecida

“O que você planeja fazer com todas suas histórias?”
Disse o novo xerife,
Orgulhoso por sua insígnia
“Vamos nos esquivar de cada visão aterrorizante de fogos,
E massas amontoadas”
Você levanta apenas sua lâmpada

Eu a seguirei
Ela em sua trilha
O caminho de Scarlet, através das violetas
Só diga a seus Deuses por mim
Todas as dívidas já estão pagas, este ano
Eles estão livres para partir
Sim, estão livres para partir

Deixando a Terra
Deixando a Terra

Se você fosse um pensamento,
Você iria querer que eu lhe pensasse?
E eu fiz isso...
Eu fiz isso

* Entre os indígenas norte-americanos, o termo “Medicine” diz respeito ao conjunto de objetos e práticas aos quais se associam poderes mágicos.

Virginia

Nas colinas viçosas da Virginia,
Eles a mantiveram o máximo que puderam
Pois sabiam que quando o irmão branco encontrasse
Os rosários de conchas brancas, entrelaçados à sua pele –
Uma vida dando vazão –
O corpo dela ficaria aberto,
Como a mão dele
E com um “adeus”, lá se vai ela...

Pode ser que ela venha a trair tudo o que ama
E até espere pela chegada do Salvador deles
E em algumas coisas, talvez ele esteja certo...
Mas o de sempre será aquilo que ELE ama
Ele transformará o nascer do sol dela
Na sabedoria de um relógio,
E o escambo da alma
Ela ainda curvará seu Corpo,
Cobrindo-o da mesma forma

Então centenas de anos passaram
(O Caminho Vermelho moldou com uma faca afiada)
É uma garota de fora tentando se adaptar
E ela vai perdendo um pouco mais a cada dia,
Para cafetões do gueto e presidentes,
Capazes de atiçar
As serpentes turquesas dela
Ela só não conseguiria invocar o que elas representam,
E quando você perguntá-la, não saberá...

Pode ser que ela venha a trair tudo o que ama
E até espere pela chegada do Salvador deles
E em algumas coisas, talvez ele esteja certo...
Mas o de sempre será aquilo que ELE ama
Ele transformará o nascer do sol dela
Na sabedoria de um relógio,
E o escambo da alma
Ela ainda curvará seu Corpo,
Cobrindo-o da mesma forma

Oh, Virginia, lembra-se de quando a Terra segurou sua mão?
Oh, Virginia, ela lhe dará a chance de voltar...
Oh, Virginia, você nem lembra de seu nome.

Gold dust (Pó de ouro)

Visões e sons

Levam-me de volta a outro ano
Eu estive aqui...
Estive aqui



Correndo por essa fonte de águas rasas,
Eu e você,
Cabulando aula



E construíamos o caminho

Enquanto caminhávamos

Construíamos,
E caminhávamos

Você disse –

Você fugiu de Langley –

Puxando-me para debaixo de um dossel de cerejeiras
Se eu guardo? –

Sim, tenha certeza de que guardo.
Dentro de minha capa de chuva,
Eu guardo sua fotografia...

E o sol em sua face...
Estou congelando esta imagem



E em algum lugar, Alfie chora

E diz, “aproveite cada sorriso dela, que você consiga ver no escuro,
Pelos olhos de Laura Mars”

“Como isso pôde ter passado tão rápido?”
Você dirá quando olharmos para trás

E então entenderemos que tínhamos ouro em pó,
Em nossas mãos
Em nossas mãos...

Visões e sons

Trazem-me de volta a outro ano
Eu estive aqui...
Estive aqui



A luz de lampiões brilha na rua
(trêmula)
O crepúsculo nos segurava em suas mãos,
Enquanto andávamos



E construíamos o caminho
Enquanto caminhávamos
Construíamos,
E caminhávamos

Deixando nomes suspensos no ar,
Qual cor de cabelo?
(carmim avermelhado)
O outono lançava seu sábio olhar

E o dia em que ela chegou...
Estou congelando essa imagem

E em algum lugar, Alfie sorri

E diz, “aproveite cada lágrima dela, que você consiga ver no escuro,
Pelos olhos de Laura Mars”
“Como isso pôde ter passado tão rápido?”
Você dirá quando olharmos para trás

E então entenderemos que tínhamos ouro em pó,
Em nossas mãos



Em nossas mãos

Por Hernando Neto

terça-feira, 25 de maio de 2010

Tradução: Scarlet's Walk [PARTE 3]

Pancake (Panqueca)

Não estou certa sobre quem engana quem aqui,
Enquanto observo sua deterioração
Nós dois sabemos que você pode deflacionar um furacão de nível 7
Parece que você e sua tribo decidiram reescrever a lei
Segregar a mente do corpo e da alma

Você me dá o seu, e eu lhe darei o meu
Pois posso encarar seu Deus bem nos olhos
Você me dá o seu, e eu lhe darei o meu
Você costumava encarar meu Deus bem nos olhos

Acredito na defesa da postura que, um dia, decidimos assumir
Hoje parece estar na moda ser um misógino homofóbico
Que não saiu do armário
Uma mudança de rota em nossa direção
Um ímpeto de verdade pouco se espalha
Como uma bandeira,
Sobre um popstar
Sobre um benzodiazepínico

Você me dá o seu, e eu lhe darei o meu
Pois posso encarar seu Deus bem nos olhos
Você me dá o seu, e eu lhe darei o meu
Você costumava encarar meu Deus bem nos olhos

Oh, Zion, por favor, remova sua luva
Afugente qualquer resquício da palavra ditada por ele,
Que acabou por se alocar em meu vórtice

Não estou certa sobre quem engana quem aqui,
Enquanto observo sua deterioração
Nós dois sabemos que você pode deflacionar um furacão de nível 7
Você podia tê-la poupado, mas não!
Messias precisam de pessoas morrendo em seus nomes
Você responde, “Eu lhe pedi uma panqueca”
Você responde, “Eu lhe pedi uma panqueca”

Versos extras de Pancake -

Você ultraja os campos de algodão,
Aqueles que impressionam
Acredito que você fez isso,
E ela também, por ser tão jovem

Você volta o homem contra a terra
Volta a mulher contra si própria
Você é poder, é ambição
Você gosta delas loiras

I can't see New York (Não consigo ver NY)

Daqui, nenhum rota está definida
Daqui, nenhuma terra tem dono
13.000 e reservas de dinheiro,
Engolidos pelo rosnado dos motores dela
Perseguindo agora o farol,
“Há algum sinal lá, do outro lado?”
Do outro lado?
O que você quer dizer?
Lado de que coisas?

E você disse
Sim, você disse...
Disse que poderia me encontrar aqui
E você disse
Que me encontraria mesmo depois da morte
E você disse
Você disse que me encontraria...

Mas não consigo ver NY,
Enquanto circulo em meio a uma nuvem branca,
E me desespero
Lembro-me de como eram quentes os lábios dele,
Mas me parece que não consigo achar
A saída
A saída

Não consigo ver NY,
Enquanto circulo em meio a uma nuvem branca,
E me desespero
Lembro-me de como eram quentes os lábios dele,
Mas me parece que não consigo achar
A saída
A saída dessa área de caça

Daqui, cristais de metanfetamina, em milhões de metros...
No final, resta-nos somente
Um projeto arquitetônico de almas
Nos perdemos nisso?
Fomos nós que criamos esse monstro?
“Vindo do outro lado”
Do outro lado?
O que você quer dizer?
Lado de que coisas?

E você disse
Sim, você disse...
Disse que poderia me encontrar aqui
E você disse
Que me encontraria mesmo depois da morte
E você disse
Você disse que me encontraria...

Mas não consigo ver NY,
Enquanto circulo em meio a uma nuvem branca,
E me desespero
Lembro-me de como eram quentes os lábios dele,
Mas me parece que não consigo achar
A saída
A saída

Não consigo ver NY,
Enquanto circulo em meio a uma nuvem branca,
E me desespero
Lembro-me de como eram quentes os lábios dele,
Mas me parece que não consigo achar
A saída
A saída de sua área de caça

Você, outra vez...
É você, outra vez...
Não consigo ver...
Não consigo ver NY
Do outro lado
Do outro lado...
Eu murmuro,
Do outro lado

Mrs Jesus (Sra Jesus)

Linhas da vida e crimes suicidas...
Ela me encontrou num estado...
Peguei minha bolsa e fui de carona com a Sra Jesus
“Como esteve você?”
Estive viajando,
Uma boa invenção,
Mas em algumas circunstâncias, não acho que seja mais fácil...

Você andando numa poça d’água, de longe meu favorito
Mas agora parece que estamos afogando numa gota, amor
E mesmo quando estou subindo as escadas,
Sei que o paraíso está lá
Então, me deparo com braços abertos, surgidos com a Estrela da Manhã

Bem, cobri minha cama com rosas cortadas,
Por entender que a causa sempre está em primeiro lugar
Para minha Sra Jesus
O evangelho muda de significado se você segue João ou Paulo
E você, algum dia, conseguiria livra a Maria disso tudo?

E mesmo quando estou subindo as escadas,
Sei que o paraíso está lá
Então, me deparo com braços abertos, surgidos com a Estrela da Manhã

Bem, linhas da vida e crimes suicidas,
Há coisas assim acontecendo todos os dias
E há também sempre alguém bipando minha Sra Jesus

Você andando numa poça d’água, de longe meu favorito
Mas agora parece que estamos afogando numa gota, amor
E mesmo quando estou subindo as escadas,
Sei que o paraíso está lá
Então, me deparo com braços abertos, surgidos com a Estrela da Manhã

E se você pegar a Jones*, no cruzamento,
Os acompanhantes são ótimos
E se for você meu caminho, deixe-me amá-la,
Sra Jesus

* Jones Road é uma rodovia estadunidense.

Taxi ride (Corrida de Táxi)

Lily está dançando sobre a mesa
Nós todos fomos levados longe demais
Acho que em dias como esses,
Você descobre quem são seus amigos de verdade
Apenas outra bicha morta para você
Apenas outra luz ausente,
Numa longa corrida de táxi
Corrida de táxi

Estou triste por seu último cigarro
Esta merda de “nós somos um só”,
Enquanto você invade o território
Do que chamamos Amor
Ela sorri demais, porém...
Estou feliz de lhe ter a meu lado,
Fato!
Estou feliz de lhe ter a meu lado,
Ainda...

Você acha que merece total confiança
Só por querer tê-la
Sei que você fala demais quando precisa,
Mas o que me preocupa é o fato
De o mundo todo estar começando a acreditar em
Você
Apenas outra bicha morta para você
(Isso é tudo!)
Apenas outra luz ausente,
Numa longa linha de táxi
Linha de táxi

Estou triste por seu último cigarro
Esta merda de “nós somos um só”,
Enquanto você invade o território
Do que chamamos Amor
Ela sorri demais, porém...
Estou feliz de lhe ter a meu lado,
Fato!
Estou feliz de lhe ter a meu lado,
Ainda...

Lily está dançando sobre a mesa
Nós todos fomos levados longe demais
Até mesmo uma puta cheia de glamour
Pode ficar sedenta
É ao chegar neste ponto que você conhece
O mel das abelhas assassinas

Estou feliz de lhe ter a meu lado,
Ainda
Estou feliz de lhe ter a meu lado,
Fato!
Estou feliz de lhe ter a meu lado,
Ainda...

Tenho uma longa corrida de táxi pela frente
Uma longa corrida de táxi

Another girl's paradise (O paraíso de outra garota)

Você me pega rastejando no
Paraíso de outra garota
A forma como ela desenha o mundo –
Quero isso em minha vida

Esmeraldas, você deveria saber,
São alugadas nos campos dela
Com um afago,
A beleza é viva,
Como eu poderia resistir?

Você é o desejo

Quando tudo está dito,
Dito e feito,
Quem pode lhe amar e continuar de pé?
Maria está invocando uma tormenta...
Posso provar de você,
Sem acabar me viciando?
Nua, como o dia
Gemma está o seguindo...
Será que tudo isso se resume ao que uma garota teme,
Durante a noite?
É o paraíso de outra garota

Através de rodopios e giros,
Jasmine confundiu-me em seu pequeno bosque
Braços cheios de tangerinas,
Saint Michaels’ Sanford Bloods
“Você chegou para descobrir o que tanto quer”
O que quero é não querer o que não é meu...

“Mas eu sou o desejo”

Quando tudo está dito,
Dito e feito,
Quem pode lhe amar e continuar de pé?
Maria está invocando uma tormenta...
Posso provar de você,
Sem acabar me viciando?
Nua, como o dia
Gemma está o seguindo...
Será que tudo isso se resume ao que uma garota teme,
Durante a noite?
É o paraíso...
O paraíso...
O paraíso de outra garota

Por Hernando Neto

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Tradução: Scarlet's Walk [PARTE 2]

Crazy (Louco)

Não estou dizendo que não houve qualquer encanto
Nem que, por você, não valesse cair
Mas eu estava só, quando percebi que era real
Dentro do cânion, quando descobri que havia alcançado
O limite, enquanto alvorecia
Em direção à luz
Até a curva,
Quando você disse que poderia dirigir por toda noite
Dirigir por toda noite
Então deixei Louco dar um rodopio*
E deixei Louco fixar-se aqui dentro
Chutei meus sapatos,
Expulsei a razão
Ele disse, “Primeiro vamos abrir o zíper de sua religião”

Descobri que eu queria muito tudo isso
Viu-me derretendo dentro de sua cabana,
Onde você gravou meu nome
Tigres de papel dão medo e ganham...

Vida, enquanto alvorecia
Em direção à luz
Até a curva,
Quando você disse que poderia dirigir por toda noite
Dirigir por toda a noite

Então deixei Louco dar um rodopio
E deixei Louco fixar-se aqui dentro
Chutei meus sapatos,
Expulsei a razão
Ele disse, “Primeiro vamos abrir o zíper de sua religião”
E deixei Louco me pôr para dentro
Deixei Louco dar seu rodopio
Chutei meus sapatos,
Expulsei a razão
Ele disse, “Primeiro vamos abrir o zíper de sua religião”
Ouvi dizer certa vez que você já foi uma “Garota da Tentação”

E assim que você tiver posto sua cabeça no lugar,
Ele se mostrará parecendo são
Perfeitamente são,
Se conheço Louco

* “Take a spin”, do verso marcado, pode significar “fazer sexo”, na forma da gíria “take a spin on the sheets”

Wampum Prayer (Oração Wampum)

Em nossas mãos,
Um velho,
Velho fio
Trilha de sangue e amêns
A cobiça é a dádiva para os filhos dos filhos
Ouça essa oração Wampum
Este é o laço que nos atará

Don't make me come to Vegas (Não me faça voltar a Vegas)

Não me faça voltar a Vegas,
Não me faça ter de lhe tirar da cama dele
Estou atenta de que não será você no cardápio
Oferecido por ele a seus amigos
Não me faça voltar a Vegas,
Não me faça ter de tirá-lo de sua cabeça
Atenas atestará que isso podia ser feito
E, de fato, foi feito
E acho que eu tenho a ver com isso

E o jacarandá está me contando
O problema em que você se meteu
Só pela forma como seus galhos dobram
Lembra-se que quando você dançava,
Refletia sobre qual o tipo de mulher você seria?
“O que será, será”...
Só por cima do meu cadáver

Escorregando de sua mão, outra e outra vez
Escorregando de sua mão, outra e outra vez...

Meu velho caso era um bufão, e um coringa
E como negociante de homens,
Eles o chamavam de Príncipe
O príncipe das valetes negras
E das mulheres,
E de qualquer coisa que tenha caído em sua mãos

“E dos ranchos e mustangs”
E da forma como você disse,
“Você pode ter isto tudo, menos eu –
Veja que Lady Luck é minha dama,
E você deverá tocar segundo o desejo dela”

E o jacarandá me diz que isso ainda não acabou,
Só pela forma como seus galhos dobram
“Se chegar trazido por uma brisa”, você disse,
“Saberei que é você pelo sabor em meus lábios,
Aposte no beijo do deserto”
Eu poderia deslizar pela sua rede
“Só por cima do meu cadáver”

Escorregando de sua mão, outra e outra vez...

Não me faça voltar a Vegas
Não me faça voltar a Vegas
Não me faça voltar a Vegas

Sweet Sangria (Doce Sangria)

Eu sei que você conhece cada um dos desesperados
E dos Atiradores Certeiros,
No oeste
Você diz que não sei ver por trás da máscara
Daqueles que se proclamam os “Bons Homens” nisso tudo
Que tomam e tomam...
“Então, você está comigo ou não?”, você diz
“Agora, decida”

Dias suaves... Doce Sangria
Ela se foi,
Você viu a sua senhorita?
Timidamente virando as costas,
Deixando-me com nossa fraca chama

Sim, você pensa nisso
O que você acredita,
Agora, nos importa
Estou entendendo...
Já disse que estou entendendo
O que você acredita,
Agora, nos importa

Antes do pôr-do-sol,
Os mexicanos abandonam San Antone
O carro irá deixá-los então na fronteira
A hora do seu colapso
Sei que seu povo já sofreu, muitas e muitas vezes
“Mas como ficam”, lhe pergunto, “os inocentes de ambos os lados?”

Dias suaves... Doce Sangria
Ela se foi,
Você viu a sua senhorita?
Timidamente virando as costas,
Deixando-me com nossa fraca chama

Sim, você pensa nisso
O que você acredita,
Agora, nos importa
Estou entendendo...
Já disse que estou entendendo
O que você acredita,
Agora, nos importa

Então me dê uma cadeira sem janela
E eu lhe peço, “Dê-me uma estrada sem sangue”

Diga-me porque sempre alguém tem de perder

Your cloud (Sua nuvem)

Aonde o rio cruza,
Cruza o lago
Aonde as palavras pulam de minha caneta
E chegam às suas páginas
Você realmente acha que poderia dividir isso?
Você como sua
Eu como minha
Duas antes que fossemos “nós”?

Se a chuva tivesse de se separar
De si mesma,
Ela diria, “escolha sua nuvem”?
“Escolha sua nuvem”?

(Eu ficarei aqui, eu ficarei com isto
Eu ficarei aqui, eu ficarei com isto)

Se existir uma linha horizontal,
Que surja a partir do mapa em seu corpo,
Atravessando a terra e alcançando,
De forma certeira e veloz,
O meu coração
Esta linha horizontal,
Caso seja questionada,
Saberá como definir onde
Você acaba e eu começo?

“Escolha sua nuvem”

A luz pode brincar e formar um anel de chuva,
Que, por sua vez,
Transforma arcos em flechas
(Sinto um calafrio)
Quem nós éramos não está perdido,
Antes de sermos “nós”
Índigo por si só,
O azul sempre soube disso

Se a chuva tivesse de se separar
De si mesma,
Ela diria, “escolha sua nuvem”?
“Escolha sua nuvem”?

(Eu ficarei aqui, eu ficarei com isto
Eu ficarei aqui, eu ficarei com isto)

Se existir uma linha horizontal,
Que surja a partir do mapa em seu corpo,
Atravessando a terra e alcançando,
De forma certeira e veloz,
O meu coração
Esta linha horizontal,
Caso seja questionada,
Saberá como definir onde
Você acaba e eu começo?

Se a chuva tivesse de se separar
De si mesma,
Ela diria,
“Escolha sua nuvem”?

Por Hernando Neto

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Tradução: Scarlet's Walk [PARTE 1]

Amber Waves (Amber Waves)

Bem, ele pôs as luzes sobre você,
Como foi com Amber Waves,
No filme dele
Ele lhe ajustou tão bem,
A ponto de eu não lhe reconhecer mais
Da aula de balé para a lap dance,
Direto para o vídeo
E a notícia do lado da piscina
Era que ele lhe projetaria...

Para dentro do quarto de garotos –
Ele desistiu
Para o DVD e revistas –
Ele desistiu
Um rito de passagem privativo –
Ele desistiu
Para o doce sonho de cada garoto,
Com seus recortes de papel

Você disse, “Ele tem uma máquina da cura,
Que brilha no escuro, brilha no escuro!”
Você diz, “Não há muito de mim sobrando para
Contar história... Então, deixa pra lá”
Mas se você estiver à toa,
E tiver a chance,
Diga às luzes do Norte para continuar brilhando
Ultimamente,
Parece que elas estão se afogando”

Ele podia pôr as luzes sobre você,
E invocar cada cisne para a borda do lago
Até o Cabo San Lucas,
Por algum estímulo visual
Então, você começou a supor que havia mais alguém,
Mesmo diante do olhar exigente dele
Vendo todos vocês,
Imersas em sua sépia

E para dentro do quarto de garotos –
Ele desistiu
Para o DVD e revistas –
Ele desistiu
Um rito de passagem privativo –
Ele desistiu
Para o doce sonho de cada garoto,
Com seus recortes de papel

Você disse, “Ele tem uma máquina da cura,
Que brilha no escuro, brilha no escuro!”
Você diz, “Não há muito de mim salvando para
Contar história... Então, deixa pra lá”
Mas se você estiver à toa,
E tiver a chance,
Diga às luzes do Norte para continuar brilhando
Ultimamente,
Parece que elas estão se afogando”

Então eu fui lá –
Pois tive a chance –
E disse às luzes do Norte para continuar brilhando
Elas mandaram lhe dizer que estão acenando...

A sorta fairytale (Um tipo de conto de fadas)

Em meu caminho ao Norte,
Na Ventura*,
Eu puxei o capô de volta
Enquanto conversava com você
Sabia que isto seria algo para a vida toda
Mas não percebi que nós...
Nós poderíamos quebrar um revestimento de prata

E estou tão triste,
Como um bom livro
Não consigo deixar este dia para trás
Um tipo de conto de fadas com você
Um tipo de conto de fadas com você...

Coisas que você disse naquele dia,
Na 101*,
A garota ficou sem ação
Tentei amenizar a situação
Com uma aposta sobre nós
Você disse que a aceitaria,
Contanto que eu não pudesse...
Não pudesse apagar isso

E estou tão triste,
Como um bom livro
Não consigo deixar este dia para trás
Um tipo de conto de fadas com você
Um tipo de conto de fadas com você...

E segui ao lado...
Segui ao lado seu, então
Segui ao lado,
Até você ter me perdido na estrada aberta
E segui ao lado,
Até o derrame de mel,
Por si só tão fraco
Para que eu pudesse partir seu pão
Para que eu pudesse ter sua palavra,
Eu tive de roubá-la

E estou tão triste,
Como um bom livro
Não consigo deixar este dia para trás
Um tipo de conto de fadas com você
Um tipo de conto de fadas com você...

A caminho do Novo México,
Algo sobre a estrada aberta
Eu soube que ele estava buscando sangue indígena
E encontrou um pouco em mim,
Encontrou um pouco em você
Talvez, neste caminho...
Nós somos apenas impostores neste país, você sabe disso...

Então seguimos juntos e dissemos que iríamos falsificá-lo
Sinto-me melhor com Oliver Stone,
Até eu quase provar dele -
Parecia o certo naquela noite
Não sei de onde vem esse poder, lá de fora
No frio do deserto
Estes caras acham que devem tentar
Nos superar

E estou tão triste,
Como um bom livro
Não consigo deixar este dia para trás
Um tipo de conto de fadas com você
Um tipo de conto de fadas com você...

E estava seguindo...
Seguindo ao lado por um instante
Até você me perder
E estava seguindo...
Seguindo ao lado
Até você me perder...
Até você não mais me ver no retrovisor...

“Você me perdeu”, eu disse

A caminho do norte,
Eu levo meu dia
No geral,
Foi um dia muito bom
E eu deixei o capô justo onde
Você poderia provar perfeitamente do paraíso
Sinta a brisa do verão
Não sabia quando estaríamos de volta
E eu, eu não...
Não pensei que terminaríamos assim...

* “101” e “Ventura” são rodovias norte-americanas.

Wednesday (Quarta-feira)

Não há nada aqui a temer
Estou sentada por perto,
Sendo furtiva quando há trabalho a ser feito
Só uma ligação que caiu
E a quieta respiração de nosso persa,
O que chamamos Cajun,
Numa quarta-feira

Então vamos, de ano a ano,
Com segredos que viemos guardando
Mesmo você dizendo não ser um templário
Parece que estamos em círculos por tantas razões distintas
Mas um dia a águia tem de aterrissar

Passada a fonte, dobramos à esquerda na estação
Começo meu dia do jeito usual
Então penso, “Por que não?”, e paro para um café
Começo então a relembrar das coisas que você diz

Ninguém está na porta
Você sugere um vulto,
Talvez um fantasma,
Concordo com isto em parte
Há algo aqui, conosco
Não consigo vestir meu dedo -
É um dedal tamanho 10,
Numa quarta-feira

Então vamos, de ano a ano,
Com segredos que viemos guardando
Mesmo você dizendo não ser um templário
Você me manda comemorar,
Por estarmos calmos e não sermos assim usualmente
E mesmo a águia tem de aterrissar

Passada a fonte, dobramos à esquerda na estação
Começo meu dia do jeito usual
Então penso, “Por que não?”, e paro para um café
Começo então a relembrar das coisas que você diz

Colha a coragem, e a morda!
Lá se foi ela outra vez...
Começo a murmurar “When doves cry”*
Alguém pode me ajudar?
Acho que estou perdida aqui...
Perdida num lugar chamado América

* “When doves cry” é uma música do Prince - http://tinyurl.com/ml82t9

Strange (Estranho)

Estranho,
Pensei que lhe conhecia bem
Pensei ter visto o céu
Pensei ter visto uma mudança,
Em seus olhos

Tão estranho
Acordei para um mundo do qual não faço parte,
A menos que nele consiga atuar...
É estranho

Afinal de contas, o que você estava procurando?
E eu me pergunto,
“Quando aprenderei?”
Quando aprenderei que o vermelho não é azul?
Todo mundo sabe disso
E eu me pergunto,
“Quando aprenderei? Quando aprenderei?”
Acho que estava mais afundada nisso do que pensei estar,
Se ainda me resta amor suficiente por nós dois...

“Fique”, disse ele
“Construiremos um ninho”
Então, larguei minha vida
Provei de seus amigos, suas opiniões
Mas quando as Pontes congelaram,
E você não voltou para casa,
Pus nosso floco de neve num microscópio

Afinal de contas, o que eu estava procurando?
E eu me pergunto,
“Quando aprenderei? Quando aprenderei?”
Talvez meu desejo soubesse melhor disso que eu mesma
E eu me pergunto,
“Quando aprenderei? Quando aprenderei?”
Acho que estava mais afundada nisso do que pensei estar,
Se ainda me resta amor suficiente por nós dois...

Tão estranho,
Agora finalmente entrei
A Festa já começou,
Mas é como se ainda não pudesse lhe sentir
Mas Estranho,
O que deixarei para trás,
Você me chama uma vez mais
Agora, porém, tenho de ir embora

Carbon (Carbono)

Feita em carbono,
Ela estava presa no fim de uma corrente
“Hora de correr”, disse ela
“Correr até a base da colina”
Atrás de íris cristalinas,
Mergulhões podem adentrar
Onde o sangue do mundo é branco

Mantenha os olhos nela
Mantenha, não ouse tirar
Mantenha os olhos em seu horizonte...
Seu horizonte

“Bear Claw”¹, “Free Fall”², uma vista do “Gunner”³
Preto e azul retalham em fitas de lítio
Golpe a golpe, a mente dela cortada em lâminas
Camadas, antes profundas, são agora desveladas

Mantenha os olhos nela
Mantenha, não ouse tirar
Mantenha os olhos em seu horizonte...
Seu horizonte

Ponha Neil na linha,
Não, eu não posso agüentar
Ele leu “Snow, Glass, Apples”*, aonde nada é o que parece ser
“Irmãzinha, você deve desvendá-lo”, ele disse a mim
“Deve entrar outra vez... A que foi feita em carbono quer somente ser desfeita”
Lâmina para o gelo, é hora do “Double diamond”#

Mantenha os olhos nela
Mantenha, não ouse tirar
Mantenha os olhos em seu horizonte...
Seu horizonte

¹²³ “Bear Claw”¹, “Free Fall”², uma vista do “Gunner”³: Garra de Urso, Queda Livre, a Visão de um Atirador.
* “Snow, Glass, Apples” é uma história escrita por Neil Gaiman, reinventando Branca de Neve, agora sob a perspectiva da Madrasta “malvada”; - http://tinyurl.com/y3hfr97
# “Double Diamond” é um jogo daqueles típicos de Las Vegas, onde você insere uma ficha e torce por uma determinada combinação de imagens.

Por Hernando Neto

terça-feira, 18 de maio de 2010

Campanha Tori Amos no Brasil [PARTE 2]

O Twitter do Planeta Terra Festival também está aceitando sugestões de artistas para a edição do festival desse ano. Envie para @planeta_terra um tweet pedindo "Tori Amos no Brasil" com a tag #PlanetaTerraFestival2010. Faça sua parte!

domingo, 16 de maio de 2010

Tradução: Scarlet's Walk - Scarlet's Bio [PARTE 2]

Continuando o passeio de Scarlet, retomamos a jornada em Oklahoma, com uma mocinha que não pretende voltar a Las Vegas...

Num sonho ainda mais distante, ela ouve o chamado de sua sobrinha, que está vivendo em Las Vegas, tem 18 anos e está envolvida numa confusão. “O problema é que se Scarlet voltar a Vegas para ajudá-la, ela mesma terá de enfrentar seu passado. O Príncipe das Valetes Negras (The Prince of Black Jacks), que domina a cidade, é uma velho caso. Se ela for, precisará então da ajuda dele. Mas ela sabe que terá um preço a pagar – daí a mote dela, NÃO ME FAÇA VOLTAR A VEGAS (DON'T MAKE ME COME TO VEGAS).
Seu pedido é atendido e, invés disso, SWEET SANGRIA a encontra em Austin, Texas. Lá ela conhece um revolucionário latino, lutando contra a intervenção americana nas Américas do Sul e Central. Mas quanto mais Scarlet afunda-se nessa luta, mais ela vê que não pode aceitar a ideia de machucar pessoas inocentes – de ambos os lados. “Para ele os fins justificam os meios. Mas mesmo ela acreditando na causa, Scarlet não é capaz de pôr munição na arma... É sobre as coisas nas quais você acredita e o quanto você é capaz de afundar nisso”.
Ela o deixa na fronteira de Laredo e YOUR CLOUD a encontra atravessando sozinha Mississipi até Memphis. De lá, ela viaja até um local aonde milhares de Cherokees morreram. “Ela está pensando acerca de ideia de segregação e sobre como pessoas podem segregar a si mesmas da terra. Todos tem um Mapa Corporal, e ela está tentando achar o seu”. Ela visita ainda os campos de batalha da Guerra Civil, antes de alcançar a Philadelphia e visitar o Liberty Bell (Sino da Liberdade) – observando que ele está rachado.
PANCAKE nos mostra Scarlet seguindo para Delaware e, de lá, para os Sítios a Nordeste de Aprendizado e Poder (North-eastern seats of Learning and Power). Lá ela conhece uma figura Messiânica, mas rapidamente torna-se desiludida. Se seu latino revolucionário era somente ação, este Messias era somente conversa. “Ele não respeita os valores que prega. É surdo para as reais necessidades do povo e está se tornando ludribiado pelo tipo de poder o qual um dia ele próprio denunciou”.
De Boston, a história muda para Nova York, aonde Scarlet presencia a explosão de um avião no meio do ar. Tori estava na cidade em 11 de setembro e I CAN'T SEE NEW YORK é uma história que obviamente ecoa deste fatídico dia. “Quando viram o ocorrido na televisão, as pessoas precisavam entender que aquilo não era um filme. Estar lá e ser capaz de sentir o que dali exalava... Você sabe que é de verdade”.
Tentando escapar de Nova York, Scarlet aceita uma carona. “Ela está cheia de dúvidas e nenhuma resposta numa época em que o mundo caiu num poço profundo. Nada ficou em seu lugar. Mas MRS JESUS representa a vida e ela decide acompanhá-la para fora da cidade a fim de entender tudo o que tinha acontecido”.
Elas se separam em Chicago, aonde Scarlet procura por velhos amigos. Lá ela descobre da morte de um amigo gay e resolve visitar sua casa em Baton Rouge, antes de viajar a Nova Orleans. “TAXI RIDE é sobre como as pessoas reagem à morte, e como essas mesmas pessoas podem trair até aquelas que já tenham partido”.
Nova Orleans é quente e suave com o cheiro de madressilvas (honeysuckles) no ar. Mas Scarlet estava lutando contra a cobiça no PARAÍSO DE OUTRA GAROTA (ANOTHER GIRL'S PARADISE). Suas viagens levam-na da Flórida ao Havaí , antes de retornar a Miami. “Durante esse tempo todo ela vinham conversando com o desejo. Compreende então que poucos de nós podem genuinamente desejar o bem aos outros de um modo altruísta”.
Em SCARLET'S WALK, ela traça os passos dos primeiros europeus a se assentarem ao longo da Costa Leste, e acaba passando pela capital da Nação Cherokee. “Na canção, América é uma jovem garota olhando sobre a água para outras garotas, que podem ser chamadas de França, Espanha ou Inglaterra. Sua curiosidade faz com que as convide a entrar. Em pouco tempo, elas se mudaram para lá e tomaram tudo – seu marido, sua casa, seu trabalho – e o novo xerife já assumiu seu posto”. A trilha também assume a história do tataravô materno de Tori, um puro Cherokee.
Em VIRGINIA, Scarlet faz seu caminho por Washington e visita Jamestown, um dos primeiros assentamentos europeus. Ela questiona como uma terra construída acerca da noção de liberdade para os assentados pôde tê-la negado aos povos Nativo-americanos. “Em sua mente, ela vê o irmão branco chegando e a jovem indígena o seguindo. A mitologia de outro terra foi imposta à América”.
No ano passado (2001), Tori deu a luz a uma filha, e no fim da jornada, acontece o mesmo com Scarlet. Com o nascimento de sua criança em GOLD DUST, ela é finalmente hábil de ver o mapa que havia perdido. “Apesar de ser a mulher aventureira, Scarlet tem agora uma outra vida que depende dela. E ela finalmente vê o que é transitório e permanente sob uma nova luz. Quando as Torres Gêmeas sucumbiram, percebemos que tudo o que for permanente continua em nosso coração”.

Uma sinopse tão breve como essa somente beira a superfície dos temas explorados em Scarlet's Walk. Multifacetado, cinematográfico e desafiador, é um álbum que provoca, estimula e revela novos níveis de significado a cada audição. Tori Amos caminha o caminho à medida que fala o devido.

NP: Para quem não conhecia a Biografia de Scarlet, é hora de reler o Scarlet's Walk.

Fonte: HereInMyHead.com
Por Hernando Neto

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Tradução: Scarlet's Walk - Scarlet's Bio [PARTE 1]

Tori sempre teve interesse em álbuns fortemente conceituais. Mas se parece ser moda fazer um disco conceitual, o que distingue Tori e, às vezes, provoca um certo estranhamento, é fato dela não só criar um conceito: ELA VIVE O CONCEITO, na forma de personagens, típicas de sua carreira desde o início dos anos 2000. Talvez, a mais emblemática de todas seja Scarlet, do álbum Scarlet's Walk, uma heróina que de tão verdadeira, sofreu até plágio de Marli (Anastácia e as flores de Ipirá...). Como Scarlet-Tori fala por si só, prefiro deixar que sua biografia nos conte mais sobre o incrível universo que a circunda. Segue então a Scarlet's Bio.

Mais que uma simples coleção de canções, Scarlet's Walk é um romance sônico. É ao mesmo tempo altamente íntimo e profundamente político, uma jornada épica e meticulosamente pensada através da América. Uma viagem por terra pela clássica tradição Kerouac, narrada por uma personagem chamada Scarlet que confunde-se com a própria Amos e todas as outras mulheres.
“Scarlet está assumindo meu lugar”, diz Tori. “Você pode dizer que ela é baseada em mim. Ou talvez eu seja baseada nela”.
Como em qualquer boa viagem por terra, Scarlet descobre durante o caminho muito sobre o mundo à sua volta e até mais sobre ela mesma. Aprofunda-se no passado e reflete sobre a que ponto chegamos e para onde deveríamos ir.
Cheia de personagens às vezes desesperados, mas sempre fascinantes e ricos em simbolismo e alegoria, o passeio de Scarlet é tanto uma jornada de auto-descoberta como uma análise acerca das duras escolhas que nos esperam, em um mundo que comumente parece ter perdido seu compasso moral.
Parcialmente inspirado pelas histórias ditas por sua mãe sobre sua família Cherookee, assim como pela crise de indentidade vivida na América contemporânea, este é o mais desafiador, ambicioso e vívido projeto criativo da fértil imaginação de Tori, até hoje.

O passeio de Scarlet inicia-se na Costa Oeste, aonde ela visita AMBER WAVES, uma expressão encontrada em America The Beautiful, e também o nome de uma pornstar do filme Boogie Nights. Amber está com um problema. “Ela chegou a Cidade dos Anjos com o propósito de ser alguém. Mas indo 'da aula de balé para o lap dance, até ser lançada em vídeo', sua alma foi pouco a pouco erodida. Ela ainda é uma mulher jovem, no fim de seus 20's. Mas o Barão do Pornô que a lançou havia encontrado uma nova ingênua. O público a devorou para depois abandoná-la, de modo a não sobrar ninguém que se importasse com ela”. Então Scarlet e Amber assumem compromisso com a jornada, o que leva nossa heróina ao Alaska para ver as Luzes do Norte (the Northern Lights). “Lá, Scarlet recebe uma mensagem a ser passada para Amber: elas não estão afogando... estão acenando”.
A SORTA FAIRYTALE nos mostra Scarlet de volta a Los Angeles ao lado de um homem a quem ela julga ser sua alma-gêmea. “Ele começam a grande viagem num carro de modelo clássico sobre a Highway da Costa do Pacífico, atravessando também o deserto. Mas à medida que seguem, a máscara cai, e ambos descobrem que a fantasia que tinham um do outro não os representava de verdade”. Ele voltam exatamente ao local de onde partiram, e Scarlet vai embora. “Eles de fato se importavam. Mas, de algum modo, perderam um ao outro. É por isso que se trata de 'um tipo de conto de fadas'”...
Scarlet vai em busca de novos amantes. Em WEDNESDAY, ela está envolvida num relacionamento com um homem que guarda segredos. “A confiança se foi, e ela não sabe se ele se importa de fato com o que tinham ou não. Ela percebe também que está se tornando algo que jamais gostaria de ser – Possessiva e desconfiada”. Mas em outro nível, o romance de Scarlet é com a América. “A Terra da Liberdade é tão livre assim? Pessoas puseram seu ideal de liberdade na América. Sendo pelo descumprimento dos tratados com indígenas ou pela recente quebra dos estoques de mercado, a cobiça estava em toda parte”.
Em STRANGE, a jornada de Scarlet a leva para os últimos pontos de resistência dos Nativo-americanos, incluindo Little Big Horn. De lá, ela segue para as Bad Lands (Más Terras). “Scarlet assumiu as crenças de seus amantes e, num outro nível, de seu país. Porém, ela começou a questioná-los. Somos ensinados que a América luta pela Democracia, mas não é isto que ela está presenciando”.
Continuando, Scarlet conhece uma maniaco-depressiva chamada CARBON. Elas viajam pelas Colinas Negras (The Black Hills) da Dakota, em direção a Wounded Knee (“Joelho Ferido”), cenário de um dos episódios mais sombrios da história dos Nativo-americanos. “Tudo o que Carbon deseja é se desintegrar. Então esta é uma história extremamente destrutiva. Assim como o povo ariscou sua vida para manter sua Terra Sagrada, um desastre está para acontecer na vida dela e uma valsa com a insanidade desponta no horizonte. Carbon acelera nesta corrida mental ao fundo do vale, e Scarlet precisa alcançá-la antes dela se matar”. Elas acabam chegando num Resort de Esqui – Bear Claw, Free Fall e Gunner's View, citados na canção, são de fato pistas de esqui. Mas para Carbon os limites e parâmetros de normalidade deixarem de existir, dando lugar à auto-mutilação e a um desejo urgente de imergir no precipício. Scarlet passeia em meio à loucura, mas a situação é deixada sem solução.
Neste ponto, um novo personagem, CRAZY, chega à vida de Scarlet. “As coisas que diz fazem total sentido, e parecem levar a dor por um tempo. Ela decide seguí-lo. Crazy é sedutor e perigoso, o que torna tudo delicioso. Mas você sabe que não é para sempre, ao perceber que não será possível acompanhá-lo”. Juntos eles viajam pela campo comboy e voltam ao deserto, antes dele abandoná-la em Tucson.
Lá, Scarlet encarna a voz dos ancestrais Nativo Americanos em WAMPUM PRAYER, após visitar o cenário onde se deu o Massacre do Povo Apache. “Ela teve um sonho e segue a voz e oração de uma anciã sobrevivente, dona da canção que foi costurada à Terra”. Existe um paralelo óbvio com as linhas melódicas do folcore aborígene na Austrália, à medida que Scarlet é levada pelo sonho até alcançar o País Cherokee e a ancestralidade de seu próprio povo.

Por enquanto, só começamos. A viagem continua no post que vem...
Por Hernando Neto

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Campanha Tori Amos no Brasil

Gente, o organizador da edição brasileira do lendário Festival de Música Woodstock, o Eduardo Fischer, está no momento aceitando pedidos de bandas para ele fechar contrato e trazer para o Brasil através do seu perfil no Twitter. Visto que a Tori está em turnê mais uma vez, agora com 10 shows já marcados, nós do toribr decidimos fazer a campanha para trazer a Tori ao Brasil. Para participar basta simplesmente mandar um tweet para o @Eduardo_Fischer, fazendo valer nossa vontade de ter um show da Tori Amos aqui no nosso país. Ajudem, vamos floodar no Twitter! Contamos com vocês!